18/12/2008

Aleijadinho


Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, (Vila Rica, 29 de agosto de 1730 — Vila Rica, 18 de novembro de 1814) foi um escultor, entalhador, desenhista e arquiteto brasileiro.
É considerado o maior expoente do
estilo barroco nas Minas Gerais (barroco mineiro) e das artes plásticas no Brasil, não só à época, mas durante todo o período colonial.

Embora não haja registros oficiais que confirmem esta circunstância de forma cabal, acredita-se que tenha nascido em Vila Rica, então capital da Capitania das Minas Gerais (hoje Ouro Preto), filho do mestre-de-obras português, que imigrara para as Minas, Manuel Francisco Lisboa, e de uma sua escrava africana, Isabel.
Por volta de
1777, quando estava empenhado na execução de seu projeto arquitetônico e na fatura das obras de arte da igreja de São Francisco de Assis, em Vila Rica, começou a desenvolver uma doença degenerativa dos membros (não se sabe ao certo se porfiria, lepra, escorbuto, reumatismo ou sífilis), que lhe comprometeu gradativamente os movimentos das mãos, chegando mesmo, segundo o relato colhido por Bretas, a perder dedos dos pés e das mãos. Para poder trabalhar, um ajudante amarrava-lhe as ferramentas aos membros. Dessa anomalia em seu corpo causada pela doença veio seu apelido, Aleijadinho.

10/12/2008

Meios de Transporte

Transporte
O transporte ferroviário é realizado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos(CPTM), pela linha 7-Rubi (Luz - Francisco Morato / Francisco Morato - Jundiaí).
O transporte público urbano é realizado através de concessão pela Viação Cidade de Caieiras.

Rodovias
Rodovia Tancredo de Almeida Neves
Rodoanel Mário Covas
A cidade conta com fácil acesso através da rodovia Tancredo Neves que liga Caieiras à São Paulo e Caieiras à Jundiaí. A cidade também tem fácil acesso ao Rodoanel Mário Covas que interliga vários pontos da Região Metropolitana de São Paulo.

AWARDS QUE OFEREÇO
























::Selo ::


09/12/2008

Lasar Segall

Pintor Vilna, 1891 - São Paulo, 1957.
O lituano Lasar Segall chegou ao Brasil pela primeira vez em 1912, ao encontro de alguns de seus irmãos, e apresentou em 1914, a primeira exposição modernista em solo brasileiro. O artista já havia cursado a Academia de Desenho de Vilna, a Imperial Academia Superior de Belas Artes de Berlim e a Academia de Belas Artes de Dresden. Depois daquele breve período inicial no Brasil, Segall retorna para a Europa. Percebe-se que «Autoretrato II» (1919) mostra um Segall expressionista e de grande lugubridade, cujo traçado lembra, para citar o mais importante pintor do século XX, Picasso e suas várias composições em que as máscaras africanas foram usadas como ponto de partida em virtude da pureza simbólica da arte primitiva. Naquela época, sua obra artística já ecoava Cézanne e o impressionismo tal como fora interpretado e entendido pela «Secessão» berlinense (1899) de Max Libermann - desdobramento daquela vienense (1897) brilhantemente conduzida por Gustav Klimt, entre outros - a qual será o embrião dos três grandes movimentos expressionistas alemães; isto é, «A Ponte», «O Cavalerio Azul» e «A Nova Objetividade».A partir de 1923 -1924, a opressiva e angustiante atmosfera alemã, resultado da humilhante derrota imposta pelos aliados à atitude expansionista e pangermânica, muda com a clareza e diafaneidade do nosso mundo tropical; a cor passa a fazer parte da vida e da obra do artista que nem sua prolongada estadia parisiense consegue obliterar e que é revivida em toda a sua força e esplendor a partir de 1932, quando Segall retornou definitivamente para o Brasil. Fonte: Itaú Cultural

02/12/2008

Vamos ajudar a reconstruir Santa Catarina





O Instituto Ressoar abriu uma conta corrente para receber doações para as famílias desabrigadas da tragédia de Santa Catarina.Todo o dinheiro arrecadado será utilizado na reconstrução e reforma das casas atingidas. A Defesa Civil está fazendo um levantamento e serão analisados os lugares que mais sofreram com a tragédia.Nestes locais o Instituto Ressoar irá promover a reabilitação.Faça a sua doação! Qualquer quantia será bem vinda e vai ajudar a reconstruir a vida de muita gente.
Abaixo estão os dados do Instituto Ressoar, no caso de quem quiser fazer o depósito via DOC:Instituto Record de Responsabilidade Social CNPJ: 07.669.797/0001-63 Quem vive no exterior pode fazer transferências eletrônicas até mil reais (R$ 1.000,00). Para outras formas de depósito você deve levar os dados da conta mais o código Swift do Bradesco no exterior.Banco Bradesco - 237Agência: 0922-9c/c: 2500-3 Instituto Record de Responsabilidade Social CNPJ: 07.669.797/0001-63 código swift: BBDEBRPSPO. Para quantias maiores é preciso procurar o seu agente financeiro no exterior para se informar sobre os procedimentos corretos.
Saiba mais....

Vídeo não pode ser exibido.

AD